Encontro com Alckmin

São Paulo, 08 de dezembro de 2016

A Associação de Médicos Residentes do Estado de São Paulo (AMERESP) vem, por meio desta nota, informar aos seus associados que no dia 07/12/2016, durante evento na cidade de Campinas, os médicos residentes da Universidade de Médicos Residentes da UNICAMP (AMERU) José Antônio Hersan Nadal, entregaram ao governados do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, um comunicado no qual constam o valor do reajuste de 11,9% na bolsa-auxílio para o ano de 2017, assim o valor retroativo do mesmo reajuste, referente aos meses de março a dezembro de 2016. Além da questão do reajuste, os residentes foram incisivos em dizer que urge a criação de plano de carreira de estado para médicos, assim como a melhoria na infraestrutura de serviços de saúde, e que a residência médica não pode sofrer com o reflexo da precariedade da saúde do interior do estado.

O governados Geraldo Alckmin solicitou informações ao colega José Nadal sobre a situação do pagamento da bolsa dos residentes do Estado de São Paulo e se comprometeu a dar encaminhamento ao nosso pleito. O comunicado entregue ao governador foi recebido por um de seus assessores, que protocolou o recebimento.

Este comunicado foi amplamente distribuído entre os deputados estaduais, com ênfase no debate de seu conteúdo com o relator do orçamento de 2017, deputado João Caramez, com o líder da bancada do PSDB na Assembléia Legislativa (ALESP), deputado Carlos Pignatari, assim como todos os outros deputados estaduais da Casa.

Durante reunião da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da ALESP também no dia  07/12/2016, o Comando de Greve dos médicos residentes entregou ao vice-presidente desta Comissão deputado Léo Vieira, a subemenda que solicita a inclusão do reajuste e seu retroativo no relatório do Orçamento de 2017, a ser votado na ALESP nos próximos dias.

Este é um breve resumo da conquistas obtidas graças à união dos médicos residentes do Estado de São Paulo. A AMERESP se orgulha verdadeiramente por aglutinar os residentes em torno desta e de tantas outras lutas que ainda teremos. Nada disso seria possível sem esforço dos colegas em se deslocar das cidades do interior para as manifestações, sem o empenho na conversa com cada deputado, seguindo-os pelos corredores da ALESP, sem o enfrentamento do assédio moral imposto pelas chefias diante da paralisação, sem a criatividade das palavras de ordem e a voz rouca dos nossos puxadores, sem as faixas e o uníssono de nossas vozes pelas ruas de São Paulo “NÃO VAI TER CALOTE!”.

Vamos em frente, porque juntos, somos mais fortes!

Atenciosamente,

Diretoria da AMERESP – Gestão 2016/2017

Contato: ameresp@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *