Aos Coordenadores da COREME do Estado de São Paulo

São Paulo, 08 de Novembro de 2016.

Aos Coordenadores da COREME do Estado de São Paulo

Os médicos residentes de São Paulo deliberaram no dia 03 de novembro na manifestação na Avenida Paulista, em frente ao MASP, pela paralisação das atividades caso não houvesse acordo com a Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, sobre o reajuste da bolsa, que deveria ter ocorrido a partir de março, conforme definido na Portaria Interministerial n° 3, de 16 de março de 2016. O Governo do Estado de São Paulo foi o único no Brasil a não conceder o reajuste das bolsas.

Até o momento não houve proposição de nenhuma solução ou previsão de repasse do reajuste, assim os residentes manterão o que ficou decido na assembléia dia 3 de novembro, caso não houvesse acordo, pela paralisação a partir de 10 de novembro, por tempo indeterminado. A paralisação mobilizará 13 mil residentes do estado e destes, 6.600, aproximadamente, ainda não receberam o aumento devido.

Os médicos residentes que recebem a bolsa pelo município tiveram o seu reajuste pela Portaria Municipal 1904/2016-SSM. Foi publicada dia 20/10, mas com efeitos a partir de novembro. O retroativo dos oito meses deve ser colocado no orçamento 2017. As negociações ocorrem junto aos vereadores na comissão da saúde, com apoio da atual e próxima gestão municipal.

A Associação dos Médicos Residentes de São Paulo (AMERESP) informa que a negociação sobre o reajuste conta com o apoio das entidades médicas AMB, CFM, SIMESP e CREMESP.

A Portaria Interministerial n° 3, de 16 de março de 2016, que determinou o pagamento de um aumento de 11,9% a partir do mês de março, foi à formalização do acordo feito no final de 2015 e a conquista do reajuste foi produto do Movimento Nacional de Valorização da Residência, que envolveu residentes de todo país durante a paralisação do final de 2015 que batalhou por outras oito pautas tão importantes quanto à questão do reajuste.

Os médicos residentes cujas bolsas são pagas pelo Ministério da Educação e Ministério da Saúde estão recebendo os valores corrigidos, conforme acordados no final do ano passado, com os valores a partir de março.

O reajuste da bolsa foi uma conquista de classe, dessa maneira convocamos todos os médicos residentes a participarem a paralisação. Portanto contamos com a compreensão dos coordenadores da COREME e apoio a esse movimento.

Atenciosamente,

Diretoria da AMERESP – Gestão 2016/2017
Contato: ameresp@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *