Nota sobre a manifestação dos residentes no dia 03 de novembro de 2016

nota-ameresp-manifestacao-3-nov-16

São Paulo, 4 de novembro de 2016

Nota sobre a manifestação dos residentes no dia 03 de novembro de 2016

A Associação de Médicos Residentes do Estado de São Paulo (AMERESP) vem a público esclarecer os residentes sobre os desdobramentos da manifestação e passeata que ocorreram ontem na capital paulista, em mais uma tentativa de solucionamento da questão do reajuste de 11,9% aos residentes tutelados pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES/SP).

Em primeiro lugar, parabenizamos todos os colegas que compareceram ao evento. Sabemos do esforço de cada um para estar lá. Valorizamos esta atitude como um sinal de que há consciência de reivindicar o que nos é devido. Possivelmente, Boa parcela daqueles que não puderam se deslocar até o MASP não o fizeram devido a receio de serem punidos por seus chefes, e porque desconheçam ou não se interessem pela melhoria da Residência Médica. Há muita coisa em jogo nesse período da nossa formação, muito sacrifício sendo feito para obter o aprimoramento profissional, o que nos obriga a ponderar entre a defesa de interesses individuais e a defesa dos interesses da nossa classe. Aproveitamos a oportunidade para dizer que, na realidade, não há dicotomia entre a natureza de tais interesses. Defender a Residência Médica é defender uma formação melhor. Desse modo, podemos valorizar a nossa formação e a nossa classe, simultaneamente.

Cabe ressaltar a importância de outras manifestações na construção da Residência Médica. Se não fosse a mobilização de residentes já formados, hoje teríamos ainda mais desafios a superar. Por isso, cada residente que levanta um cartaz dizendo o que pensa sobre a situação atual da Residência Médica está contribuindo para os futuros residentes se beneficiem com as conquistas que vão surgindo lentamente, movidas pela persistência dos que nos precederam.

Com o objetivo de sensibilizar o secretário de saúde, dr.David Uip, sobre o cumprimento da Portaria Interministerial no.3(16/03/16), nos reunimos e caminhamos até a SES/SP. Como ocorreu em outras ocasiões, a resposta que recebemos de membros da SES/SP foi a mesma: não há recurso e não há previsão para o pagamento do reajuste e seu retroativo. Para a AMERESP, tal resposta não condiz com a responsabilidade da SES/SP diante dos médicos residentes por ela tutelados. Os servidores públicos que ocupam cargos com poder deliberativo – como o dr. David Uip – são escolhidos em tese pela capacidade de gerenciar a coisa pública, e não apenas para dizer o óbvio e declinar da obrigação de encontrar soluções para as dificuldades que surgem ao longo de seu mandato.

Diante dessa situação, os residentes presentes na manifestação aprovam, por aclamação, o inicio de PARALISAÇÃO A PARTIR DE 10/11/2016, POR TEMPO INDETERMINADO.

A AMERESP se dispõe a esclarecer dúvidas e a orientar os médicos residentes para que esta paralisação culmine no cumprimento de um direto adquirido: o reajuste de 11,9% e seu pagamento retroativo.

UNIDOS SOMOS MAIS FORTES!

Diretoria Executiva AMERESP – Gestão 201/2017

Diretoria Adjunta da AMERESP – Gestão 2016/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *