AMERESP apoia residentes do hospital das clínicas da universidade federal de Pernambuco (HC-UFPE)

HC-UFPE

CARTA DE APOIO AOS RESIDENTES DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO (HC-UFPE)

Nós, componentes da Direção da Associação de Médicos Residentes do Estado de São Paulo (AMERESP), por meio desta, tornamos público nosso apoio irrestrito aos Residentes do HC-UFPE, no que tange a decisão recente de optar por uma paralisação, buscando mudanças no serviço que compõem.

Recentemente, assistimos mobilizações semelhantes em nosso Estado. Serviços de renome ganharam visibilidade nacional por suas carências, como é o caso da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Residentes de serviços tradicionais como o Hospital São Paulo – vinculado a UNIFESP – e o Hospital Heliopolis apresentaram reivindicações e iniciaram paralisações em prol da melhora da formação médica e/ou da assistência aos seus pacientes. Vivemos situações que não destoam da realidade descrita pelos colegas pernambucanos em seu comunicado sobre a greve.

Acreditamos que a realidade em que pacientes se amontoam nos corredores, em que inexiste, tanto a medicação, quanto os profissionais necessários para o funcionamento dos setores e andamento dos tratamentos prescritos, precisa ser deixada para trás. Deficiências em atividades básicas para o andamento correto do Programa de Residência Médica, bem como do serviço, não podem se tornar uma constante, quiçá serem vistos como algo passível de aceitação.

“Calar-nos frente a qualquer caminho que não signifique evolução do SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) significaria enfraquecê-lo e miná-lo, tanto quanto o fazem aqueles que não destinam as verbas necessárias para o funcionamento das unidades de saúde ou deixam de fortalecer o Sistema com planejamentos de curto prazo e, sobretudo, eleitoreiros.”

Urge encerrar o período em que assistimos políticos, atores e pessoas abastadas buscarem apenas serviços de assistência médica de cunho particular, enquanto sobre o SUS repousa o estigma da pobreza e da miséria, da falta de recursos e equipamentos, dos profissionais cansados e sobrecarregados, dos corredores lotados. Sem o fortalecimento da base, que acreditamos compor-se fundamentalmente dos Programas de Residência Médica de nosso país, não assistiremos o alvorecer de um SUS digno de todos. Sonhamos com esse dia. Lutamos por isso. Acreditamos caminhar em direção a esse futuro mais digno.

Na atitude corajosa de nossos colegas do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Pernambuco (HC-UFPE), vemo-nos como frente a um espelho. E nos orgulhamos com o que podemos contemplar. Heróis do cotidiano, que superavam todo tipo de barreiras, viram-se, no momento em que resolveram interromper suas atividades, frente ao abismo do inaceitável. E não se preservaram da fúria da crítica, antes se comprometeram com a verdade e a integridade de seus pacientes e de sua Casa.

Por fim, não será no silêncio, não será na passividade que as injustiças serão redimidas. Com orgulho e acreditando que é fortalecendo os argumentos dos “bons”, agregando pessoas capazes e implementando mudanças, com seriedade, que construiremos uma nova realidade, que aqui deixamos nosso humilde apoio aos Residentes Pernambucanos. Esperamos que as metas buscadas sejam atingidas o quanto antes, fazendo votos de que ao fim do processo, a defesa dos direitos e necessidades do paciente, a busca pela melhoria da formação médica no país e a valorização do profissional médico brasileiro sejam os frutos dessa semente que os senhores tiveram a decência e a coragem se plantar.

São os sinceros votos dessa direção.

São Paulo, 12 de Julho de 2015.

DIEGO GARCIA

Presidente da Associação dos Médicos Residentes do Estado de São Paulo (AMERESP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *